Brasil

Print
Press Enter to show all options, press Tab go to next option

vegetables

Carteira vigente

Donatários ativos: 30
Recursos comprometidos pela IAF: US$ 7.020.108
Montante dos recursos de contrapartida: US$ 9.073.193
Investimento total: US$ 16.093.201
Áreas de ênfase: Agricultura, conservação, responsabilidade social empresarial; desenvolvimento de empresas; inclusão de afrodescendentes, mulheres e jovens.

Informações de contato

David Fleischer, Representante da IAF
Kaitlin Stastny, Assistente de Programas
Juliana Menucci, Apoio Local

Donatários ativos

A Associação dos Agricultores Agroflorestais de Barra do Turvo e Adrianópolis (COOPERAFLORESTA) ampliará sua escola agroflorestal para capacitar e trocar experiências em técnicas agrícolas alternativas de seus membros com outros agricultores, técnicos e pesquisadores interessados. A COOPERAFLORESTA irá expandir sua planta de processamento, para fornecer polpa de frutas, sorvetes, frutas secas e legumes aos mercados locais e regionais. O objetivo da COOPERAFLORESTA é atingir pelo menos 3.400 pessoas diretamente e 12.000 indiretamente.

O Instituto Comunitário Grande Florianópolis (ICom) investirá no desenvolvimento de seu Centro de Apoio a Iniciativas Sociais (CAIS), um centro que oferece recursos a grupos comunitáriios, de base e não governamentais na região da Grande Florianópolis.  O projeto beneficiará diretamente cerca de 400 organizações comunitárias e 1.000 indivíduos.

O Instituto Fazer Acontecer (IFA) que usa o esporte para promover o desenvolvimento comunitário, vai organizar treinamento para educadores esportivos, atividades esportivas educacionais para jovens da zona rural do Estado da Bahia e fóruns sobre esportes educacionais e o impacto social da Copa do Mundo e Jogos Olímpicos. As atividades vão beneficiar 3.560 baianos diretamente e 12.000 indiretamente. 

O Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP) desenvolverá suas atividades anteriores para incentivar o desenvolvimento e organização de agricultura familiar para ser sólida ecológicamente. Incluirá continuar a promoção de sistemas agrícolas com agricultores familiares e a distribuição e o marketing de produtos orgânicos na região noroeste do estado do Rio Grande do Sul, Brasil. CETAP continuará facilitar a conexão entre grupos urbanos e rurais. CETAP também organizará e facilitará o encontro regional com donatários-parceiros trabalnhanso com agroecologia durante o encontro da Ecovida em 2017. Essas atividades beneficiará uns 1.530 agricultores familiares adicionais e grupos urbanos de baixa renda.

A Associação de Cooperação Técnica para o Desenvolvimento Humano – Outro Olhar (OUTRO OLHAR) juntamente com a Rede Solidária Popyguá, composta por representantes de comunidades Guarani nos estados de Santa Catarina e Paraná, para desenvolver microempresas, melhorar a infraestrutura, registrar a história oral, preservar o meio ambiente e reduzir a dependência da assistência pública. Cerca de 300 guaranis vão ser beneficiados diretamente.

A Associação dos Remanescentes do Quilombo de Pombal (ARQP) vai trabalhar com 160 agricultores afrodescendentes reassentados pela reforma agrária em São Tiago, município de Santa Rita do Novo Destino, Estado de Goiás, para desenvolver o fundo de equipamento agrícola da associação e lançar uma cooperativa que compre produtos para venda por atacado.

O Instituto Brasil Central (IBRACE) treinará agricultores, residentes do quilombola e indígenas brasileiros como resultado da reforma agrária na região nordeste do Estado de Goiás para contribuir para a discussão de políticas públicas sobre desenvolvimento rural, conservação e serviços sociais, bem como monitorará os programas oriundos das políticas. Cem indivíduos deverão beneficiar-se diretamente e 80.000 indiretamente.

A Casa Verde Cultura e Meio Ambiente (Casa Verde) vai trabalhar com comunidades quilombolas e agricultores assentados pela reforma agrária para melhorar a produção, reforçar as práticas tradicionais e preservar a biodiversidade nos estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Cerca de 1.000 famílias devem ser beneficiadas diretamente e outras 3.500 indiretamente. 

O fundo de subdoação do Instituto Arcor Brasil (IAB) proporcionará recursos a grupos de base para empreender projetos de desenvolvimento. O IAB trabalhará com corporações e fundações corporativas brasileiras da RedEAmérica no intuito de melhorar a eficácia de suas práticas de investimento social.

O Centro de Educação Popular (CENEP) promoverá o uso de plantas medicinais indígenas do território de Curimataú no Nordeste do Brasil e trabalhará com as comunidades na expansão de práticas que as utilizam efetivamente no cuidado e conservação da saúde. O projeto deverá beneficiar 350 brasileiros diretamente e outros 2.500 residentes de 10 municípios do Estado da Paraíba.

As Alternativas para pequena Agricultura no Tocantins (APA-TO) desenvolverá e aplicará novas tecnologias que ajudem as comunidades e ecossistemas na região norte do Estado do Tocantins a se adaptarem à mudança do clima. Trabalhará também no sentido de gerar renda de produtos florestais não relacionados com madeira. Este projeto beneficiará diretamente 500 pessoas e indiretamente outros 5.000 brasileiros.

A Cooperativa de Trabalho, Prestação de Serviços, Assistência Técnica e Extensão Rural (COOPTER) trabalhará com comunidades em Araguacema e Couto de Magalhães, Estado do Tocantins, na elaboração de convênios de cooperação para facilitar a pesca nos lagos ao longo do Rio Araguaia, preparação de planos para gerenciar os estoques de pirarucu (arapaima gigas) e melhorar o processamento. A renda gerada e um suprimento de alimentos mais confiável beneficiarão diretamente 245 pescadores e indiretamente outros 980 residentes da área.

A Agência de Desenvolvimento Econômico Local (ADEL) capacitará 160 jovens nas aptidões necessárias para serem empresários rurais e lhes dará acesso ao microcrédito e tecnologias da informação, a fim de ajudá-los a abrir negócios, o que lhes poderá incentivar a permanecerem nas comunidades rurais na região semiárida do Estado do Ceará. Outros 3.600 residentes deverão beneficiar-se indiretamente do projeto.

O Centro de Capacitação Zumbi dos Palmares (CCZP) ajudará apicultores a se reassentarem na região semiárida de Alagoas de acordo com o objetivo do programa de reforma agrária de transformar a produção de subsistência de mel em uma fonte viável de renda mediante a construção de uma instalação de processamento e estratégias de marketing. Este projeto beneficiará diretamente 120 famílias rurais e indiretamente outros 1.500 residentes da área.

O Centro de Documentação Eloy Ferreira da Silva (CEDEFES) fará pesquisas nas práticas de colaboração de mulheres que trabalham na agricultura e produção de artefatos em 20 comunidades quilombolas em duas regiões do Estado de Minas Gerais. A análise resultante deverá ajudar 100 mulheres a se organizar melhor no intuito de aumentar sua renda. Outros 400 residentes quilombolas serão beneficiados indiretamente.

A Cooperativa de Produtores Orgânicos e Biodinâmicos da Chapada Diamantina (COOPERBIO) trabalhará com seus membros na melhoria da produção orgânica e práticas agroecológicas de seus pequenos proprietários agrícolas na região da Chapada Diamantina da Bahia, Brasil. As atividades focarão a produção, processamento e comercialização de cafés especiais e na expansão da diversidade de colheitas com árvores frutíferas locais. Este projeto beneficiará diretamente 260 pessoas e 2.000 indiretamente.

O Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAANM) ajudará os pequenos proprietários agrícolas e comunidades indígenas a melhorarem a produção agroecológica, o processamento e a comercialização de frutas e cana-de-açúcar na região semiárida do Norte de Minas Gerais. As atividades do projeto também incluem o desenvolvimento de um sistema participativo de certificação e a abertura de novos mercados para produtos agroecológicos na região. Este projeto beneficiará diretamente 240 famílias e indiretamente outras 1.000 famílias.

A Associação para Desenvolvimento Local Co-produzido (ADELCO) trabalhará com associações de Pitaguary e Tremembé para reduzir a dependência da assistência governamental mediante o desenvolvimento de um turismo cultural como fonte de renda, bem como para melhorar o saneamento, infraestrutura de abastecimento de água, saúde e renda domiciliar dessas comunidades indígenas do Ceará. Este projeto beneficiará diretamente 1.000 brasileiros de Pitaguary e Tremembé e outros 7.700 indiretamente.

A Comunidade organizada para preservação e Recuperação do Meio Ambiente (COPEMA) desenvolverá uma rede de hortas comunitárias em terrenos públicos não cultivados ou em terrenos de propriedade privada na periferia sudoeste de Granja Portugal, um distrito de Fortaleza, tendo como metas imediatas assegurar um suprimento de alimentos mais confiável e melhoria da nutrição e saúde. As hortas também deverão gerar emprego e renda adicional, especialmente para mulheres desempregadas, bem como melhorar o ambiente urbano. Cerca de 240 residentes deverão beneficiar-se diretamente e outros 1.000 indiretamente.

A Comissão Pastoral da Terra do Rio Grande do Norte (CPT-RN) trabalhará com as associações comunitárias para introduzir uma infraestrutura de baixo custo para o cultivo com recursos hídricos limitados em 10 assentamentos formados em conformidade com o programa brasileiro de reforma agrária no Rio Grande do Norte. O projeto beneficiará diretamente 500 agricultores e indiretamente outros 2.515 membros de suas famílias.

O Centro de Educação e Organização Popular (CEOP) trabalhará com duas comunidades rurais na região semiárida da Paraíba para melhorar a produção agrícola. A meta é capacitar agricultores, especialmente mulheres e jovens, em técnicas agroecológicas para a gestão dos lotes familiares com enfoque especial na melhoria da fertilidade do solo e no plantio de espécies de árvores nativas. As atividades do projeto contribuirão para a diversificação da produção, segurança alimentar e geração de renda. Este projeto beneficiará diretamente 100 pessoas e 2.000 indiretamente.

A Associação dos Moradores, Agricultores e Apicultores da Lapinha (Amalapinha) melhorará a agrofloresta, expandirá seu processamento e marketing, e desenvolverá o turismo local como meio da geração de renda e conservação do meio ambiente de Morro do Pilar, MG, Brasil. Este projeto beneficiará diretamente 150 pessoas e 500 indiretamente.

A Associação dos Maricultores da Ilha Rasa (AMAIR) vai trabalhar com pescadores locais na Ilha Rasa para reduzir a extração ilegal e promover a reposição dos depósitos nativos de ostras na baía de Guaraqueçaba. O projeto também vai aumentar a renda dos pescadores e a administração sustentável de recursos estuarinos. Esse projeto inclui o desenvolvimento de áreas de cultivo de ostras e treinamento no processamento e comercialização de ostras nativas. Esse projeto vai beneficiar 30 pescadores diretamente e cerca de 400 moradores indiretamente.

A SerrAcima – Associação de Cultura e Educação Ambiental (SerrAcima) trabalhará com pequenos agricultores, particularmente mulheres e jovens, no Alto Vale do Paraíba, estado de São Paulo, para melhorar suas condições de vida e resiliência à eventos climáticos. O donatário trabalhará com os agricultores para implementar práticas agroecológicas e vender o excesso de produtos para os mercados locais e o programa de alimentação escolar. Também acessará mercados expandidos em destinos turísticos vizinhos. O projeto beneficiará diretamente 80 famílias (estimadas 240 pessoas) e 960 pessoas indiretamente.

O Fórum para o desenvolvimento da Zona Leste (FDZL) trabalhará com 10 cooperativas de reciclagem na cidade de São Paulo para promover sua inclusão em uma plataforma de negócios on line criada por uma rede de empresas de reciclagem. Esse projeto focaliza na representação das cooperativas de reciclagem na rede on line, criado para facilitar a compra de materiais reciclados. O FDZL também melhorará a gestão das cooperativas e sua capacidade de comercialização. O projeto beneficiará diretamente 95 membros das cooperativas e outras 500 pessoas indiretamente.

A Associação das Bordadeiras de Nazária (ASBON) trabalhará na periferia de Teresina, no estado do Piauí, Brasil, para treinar vítimas de violência doméstica, mães solteiras, mulheres que são chefes de família e mulheres de baixa renda em habilidades profissionais. O projeto também se dedicará ao fortalecimento da capacidade organizacional em gerenciamento de negócios, comercialização e igualdade de gêneros em relações trabalhistas. Este projeto beneficiará cerca de 200 mulheres diretamente e outros 2.000 membros familiares indiretamente.

A Associação Quilombola do Povoado Patioba (AQUIPP) oferecerá capacitação a jovens sobre identidade cultural e herança afro-brasileira. As atividades do projeto incluirão uma série de oficinas que fortalecem o patrimônio cultural afro-brasileiro e aumentam as habilidades profissionais dos jovens à medida que entram no mercado de trabalho. Este projeto beneficiará 200 jovens Quilombolas diretamente e outros 1.000 indiretamente.

A Associação Rede Rio de São Bartolomeu de Mútua Cooperação (Rede Bartô) trabalhará com 13 associações rurais em seis comunidades para melhorar a produção agrícola e capacidade de processamento, desenvolver mercados e contribuir para a conservação de recursos naturais na bacia hidrográfica do rio São Bartolomeu, Distrito Federal, Brasil. A Rede Bartô fornecerá treinamento sobre práticas agroecológicas, métodos de processamento e comercialização. Este projeto irá beneficiar 480 pessoas diretamente e 1.200 pessoas indiretamente.

A Caritas Brasileira Regional do Maranhão (CBMA) trabalhará diretamente com 20 grupos produtivos indígenas e afrodescendentes em 10 municípios do Maranhão, Brasil, para fortalecer uma rede de base comunitária - Rede Mandioca - que ligará produtores a mercados expandidos. A CBMA conseguirá isso através da melhoria no cultivo de raízes de mandioca e nos padrões de processamento da farinha de mandioca, estabelecimento de novos canais de comercialização a nível estadual e treinamento em gerenciamento para membros da Rede. Este projeto beneficiará 1.000 produtores diretamente e 4.000 famílias e 10.000 consumidores indiretamente.

A Associação Comunitária do Sítio Lagoa da Coroa (ACSLC-AL) melhorará a colheita de frutas e introduzirá novas técnicas de processamento através de uma agroindústria de desidratação de frutas na comunidade. As atividades do projeto pode melhorar a renda, a autonomia financeira das mulheres e a identidade cultural local.  Este projeto beneficiará diretamente 50 mulheres produtoras e 250 residentes indiretamente.